CANHOTICES

...em Torres Novas, Ribatejo, Portugal. Do lado esquerdo da vida.

17.2.08

Carta aberta ao Samuel do Cantigueiro

Publicada por zemanel |

Samuel,
Foi com entusiasmo vibrante que descobri no "cantigueiro" que vais estar no Rossio, nessa tarde marçagã que se aproxima.
Alegria e entusiasmo pois. ..Porque é com entusiasmo que vamos lá estar todos, porque a palavra futuro é sempre uma palavra de construção.
Alegria,porque, tendo nascido no Outono de 73, sou filho de Abril, puto de Abril, pintei na escola muitos cravos vermelhos.
Alegria porque cantei as canções essenciais todas, mesmo quando não sabia bem o que estava a cantar. E a gente da idade dos meus pais, construía-nos um país que diziam novo.
Entusiasmo, porque sem sabermos porquê, o tal país das cantigas de Abril foi-se transformando numa saudade. E a gente, putos de Abril, ficámos assim. E nem canções temos para cantar. Vamos para as Inglaterras, procuramos a felicidade num recibo verde de esperança de trabalhar com dignidade.
Mas muitos de nós vamos à luta e descobrimos que, os Homens e as Mulheres deste país que semearam e floresceram os cravos vermelhos estão conosco, estiveram sempre conosco e, encontramo-nos um dia destes todos, todos, no Rossio e diremos todos num acorde musical a palavra LIBERDADE!
Obrigado Samuel.

6 canhotices:

poesianopopular disse...

Eu só quero aplaudir esta tua carta aberta, e dizer-te que, lá nos encontrare-mos!
Até lá
Um abraço
José Manangão

Maria disse...

É tão bonita esta tua carta aberta ao Cantigueiro....
Estaremos lá muitos, muitos mil... tenho a certeza...

Toma lá um abraço, puto de Abril, de uma mulher que podia ser tua mãe!!!

Beijos
Maria

Maria disse...

Esqueci-me de dizer que, quando nasceste, essa tal mulher andava pelas ruas de Bruxelas sem saber muito bem o que havia de fazer à vida.....
..... mas logo logo veio ABRIL!!!!!!!!!!!!!!!

Um beijo

soldadonofront disse...

...passei por aqui...

GR disse...

Carta tão bonita.
Oferecida ao Samuel é um aplauso, das muitas palmas que recebeu e recebe pelo seu grande contributo a Abril. A sua voz dava-nos força e durante o dia cantarolávamos.
Porque o Samuel também cantou todas as canções essenciais. Com a sua viola, lá estava ele nos lugares mais longínquos ou nos palcos mais famosos. Muito alegrou a Luta! Havia um conjunto de cantores magníficos, onde o Samuel não podia faltar. Necessitávamos na altura que nos ajudassem na Revolução. Abril não tinha dia, nem noite, o tempo urgia. Então os grandes impulsionadores por vezes tão cansados, cantavam.
Era um tempo de muita responsabilidade, de acção, de cravos. Era a Revolução!
Será uma emoção poder tornar ouvir (ao vivo) o Samuel.

GR

samuel disse...

Já não é a primeira vez que o digo.
Se me deixarem "sem palavras" lá se vai uma das matérias primas do "Cantigueiro" :)

Abraço.

Subscribe